5 dicas para o pequeno empreendedor lojista se adequar à NFC-e

1- Fique de olho nas obrigatoriedades em seu estado

Fique atento à legislação sobre a Nota Fiscal do Consumidor eletrônica (NFC-e) em seu estado, para conferir se a obrigatoriedade de emissão já entrou em vigor ou quando vai iniciar. A maioria dos estados adotou a NFC-e como modelo de documento fiscal eletrônico do varejo, porém, alguns estados permanecem com modelo ECF (cupom fiscal), outros determinam o uso do S@T CF-e (Sistema Autenticador e Transmissor do Cupom Fiscal eletrônico) e outros permitem o conjunto da NFC-e com S@T CF-e.

2 - Busque uma ferramenta adequada para a emissão da NFC-e

Para conseguir emitir a NFC-e é preciso ter uma solução de TI que faça esse processo de forma integrada com a Secretaria de Fazenda Estadual. É importante buscar uma solução que seja fácil de utilizar no dia a dia, e com grande eficiência.

3 - Confira se a associação comercial local oferece alguma parceria

Algumas associações comerciais de estados oferecem parcerias com fornecedores desses softwares para a disponibilização gratuita para os associados, como por exemplo a ACP (Associação Comercial do Paraná).

4 - Organize equipamentos e conexões

Com a NFC-e não é mais necessário ter uma impressora fiscal na loja. Basta ter uma impressora simples, o que reduz custos. Como muitas soluções de emissão oferecem versões on-line é importante também conferir a eficiência das conexões de internet para garantir mais produtividade.

5 - Integre a solução de NFC-e com seu contador

O contador é seu aliado na hora de colocar em prática a emissão da NFC-e. Alguns sistemas oferecem a integração automática de dados com a contabilidade do lojista, o que facilita a transferência de dados e todo o processo contábil.

Karine Gresser - Contadora e consultora de negócios do sistema myrp. 

Fonte: Administradores - 22/10/2015

Desenvolvido pela TBrWeb
Endereço:    Rua Marechal Floriano 1028, Vacaria RS | Fone 54 3232.1033