Tragédia em Brumadinho é usada como golpe para roubar dinheiro no WhatsApp

Desde a última sexta-feira (25), o município de Brumadinho, Minas Gerais, vem sofrendo com o despejo de rejeito mineral da Vale S.A. que, até o momento, já deixou 60 mortos e mais de 290 pessoas desaparecidos. Enquanto boa parte do Brasil se esforça em ajudar a população da cidade, o crime ambiental cometido pela Vale e a tragédia local são usadas por cibercriminosos para roubar dinheiro de pessoas sensibilizadas pelo caso.

Os sites para depósito são falsos, com uma aparência que simula domínios oficiais

A Polícia Militar de Belo Horizonte soltou um alerta sobre uma falsa conta corrente aberta para receber doações. Estelionatários estão espalhando a mensagens em redes sociais, como WhatsApp e Facebook, indicando sobre uma conta para receber dinheiro e ajudar os atingidos em Brumadinho. A PM deixa claro: a conta corrente é falsa.

O major Flávio Santiago, porta-voz da PM ao Estados de Minas, disse que “o mais importante é que as pessoas não confiem em muitas informações que estão sendo veiculadas em mídias sociais, como contas para depósitos. Mão existe esta situação. Importante, diante de qualquer dúvida, as pessoas devem entrar no site da Defesa Civil de Minas Gerais. Pois, se houve algo oficial neste sentido, lá será publicado. No restante, é um golpe sendo aplicado. Infelizmente, há pessoas que aproveitam dessas situações para angariar algum tipo de benefício”, explicou o major Flávio Santiago, porta-voz da PM.

Santiago completa que os criminosos utilizam imagens e contas correntes falsas, além disso, adicionam nomes de empresas de renome para enganar a vítima na hora do depósito. O major também comenta que os sites para depósito são falsos, com uma aparência que simula domínios oficiais.

As doações são suficientes e não é mais necessário o envio de donativos

O nome deste tipo de golpe é phishing. Caso você não saiba, phishing é um dos métodos de ataque mais antigos, já que "metade do trabalho" é enganar o usuário de computador ou smartphone. Como uma "pescaria", o cibercriminoso envia um texto indicando que você ganhou algum prêmio ou dinheiro (ou está devendo algum valor) e, normalmente, um link acompanhante para você resolver a situação. O phishing também pode ser caracterizado como sites falsos que pedem dados de visitantes. A armadilha acontece quando você entra nesse link e insere os seus dados sensíveis — normalmente, há um site falso do banco/ecommerce para ludibriar a vítima —, como nome completo, telefone, CPF e números de contas bancárias.

E sobre as doações para Brumadinho?
Já são suficientes e não é mais necessário o envio de donativos, afirmam órgãos de segurança da cidade. "O Governo de Minas através da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil de Minas Gerais – Cedec/MG e o Servas (Serviço Voluntário de Assistência Social) agradece o empenho e a solidariedade do povo mineiro com os afetados pelo rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho, e informa que os donativos arrecadados até o momento são suficientes, não sendo necessário o envio de mais materiais para o socorrimento humanitário", diz a Defesa Civil.

Caso seja necessário, a própria Defesa Civil voltará a pedir doações

Fonte: Tecmundo | 28/01/2019

Desenvolvido pela TBrWeb
Endereço:    Rua Marechal Floriano 1028, Vacaria RS | Fone 54 3232.1033